quarta-feira, 28 de novembro de 2007

O Cristão e a Ecologia

Só uma breve reflexão sobre o assunto e segue uma gama de versículos que orienta o cristão a ter uma atitude de preservação ecologicamente correta da natureza.

O pensamento ecológico é próximo do pensamento cristão de irmandade, vê toda a vida na Terra como uma teia interligada e interdependente. Tanto ecólogos quanto cristãos se preocupam com uma vida digna para si e para seus semelhantes.

O pensamento ecológico prevê um mundo em paz, com uma justa divisão de oportunidades e de acesso aos recursos ambientais, prevê o fim da miséria. A Convenção da Biodiversidade reconhece que os países industrializados auferiram as vantagens de apropriar os recursos ambientais dos países pobres, e que agora é preciso mecanismos para reverter o quadro e elevar a participação dos países pobres na divisão.

Os principais documentos que representam o pensamento ecológico, a Carta da Terra, a Agenda 21, a Convenção da Biodiversidade e o Protocolo de Kioto (além de inúmeros outros acordos internacionais) são baseados nos mesmos princípios – de que não podemos agora degradar o meio ambiente comprometendo a qualidade de vida (ou mesmo a sobrevivência) das gerações futuras.

Também está prevista a estabilização do tamanho da população no Planeta, de forma a equilibrar o uso dos recursos naturais e a preservação do ambiente.

O ponto de partida de qualquer discussão cristã sobre ecologia deve ser o conceito bíblico de Deus como Criador. De acordo com Gênesis 1, o universo como um todo, e em especial a terra, agraciada com o maravilhoso dom da vida, é obra das sábias e poderosas mãos de Deus (ver Sl 136.3-9; Pv 8.22-31). A natureza, em toda a sua complexidade e beleza, testifica sobre a grandeza e a bondade do Criador (Dt 33.13-16; Sl 104.10-24,27-30). São muitas as passagens bíblicas, algumas de grande sublimidade poética, que visam inculcar nas pessoas uma atitude de respeito e admiração pelos encantos do mundo natural (Jó 40.15-19; Sl 65.9-13; 147.7-9,15-18; 148.1-10; Ct 2.11-13; At 14.17). Nos seus ensinos, Jesus fez muitas referências à natureza para exemplificar o cuidado providente de Deus (Mt 6.26,28; 13.31-32; Lc 12.6). Nos anúncios proféticos do novo tempo que Deus irá criar, as referências ao mundo natural ocupam um lugar de grande destaque (Is 11.6-8; Ez 47.7,12; Ap 22.1-2).

Ainda que Deus tenha feito o ser humano como o coroamento da sua obra criadora, ele não lhe conferiu o direito de abusar da terra e de seus recursos. Fica implícita em toda a Escritura a responsabilidade humana de cuidar e guardar do “jardim do Senhor” (Gn 2.15). O conceito de mordomia se aplica de modo especial nessa área – a terra e suas riquezas pertencem a Deus, que as confia ao homem para que as administre com cuidado e sabedoria. O pecado humano gerou alienação em relação a Deus e à natureza. Por isso agora a criação “geme e suporta angústias” até que seja “redimida do cativeiro da corrupção” (Rm 8.21-22). Os cristãos têm o dever inescapável de utilizar criteriosamente as coisas que Deus criou com o propósito de dar-lhes vida, sustento e alegria.

Mas qual a responsabilidade do cristão com relação a ecologia?

Apenas para fundamentarmos a necessidade e urgência de uma crítica cristã com relação ao descaso com o meio ambiente citamos Gênesis 1.24-31

A CRIAÇÃO DOS SERES VIVOS

24 E disse Deus: Produza a terra seres viventes segundo as suas espécies: animais domésticos, répteis, e animais selvagens segundo as suas espécies. E assim foi.

25 Deus, pois, fez os animais selvagens segundo as suas espécies, e os animais domésticos segundo as suas espécies, e todos os répteis da terra segundo as suas espécies. E viu Deus que isso era bom.

26 E disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança; domine ele sobre os peixes do mar, sobre as aves do céu, sobre os animais domésticos, e sobre toda a terra, e sobre todo réptil que se arrasta sobre a terra.

27 Criou, pois, Deus o homem à sua imagem; à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou.

28 Então Deus os abençoou e lhes disse: Frutificai e multiplicai-vos; enchei a terra e sujeitai-a; dominai sobre os peixes do mar, sobre as aves do céu e sobre todos os animais que se arrastam sobre a terra.

29 Disse-lhes mais: Eis que vos tenho dado todas as ervas que produzem semente, as quais se acham sobre a face de toda a terra, bem como todas as árvores em que há fruto que dê semente; ser-vos-ão para mantimento.

30 E a todos os animais da terra, a todas as aves do céu e a todo ser vivente que se arrasta sobre a terra, tenho dado todas as ervas verdes como mantimento. E assim foi.

31 E viu Deus tudo quanto fizera, e eis que era muito bom. E foi a tarde e a manhã, o dia sexto.

Aqui há um exemplo claro da harmonia e do desejo de Deus que o homem dominasse e mantivesse a terra de forma que está lhe desse o sustento, quando estou abusando dos recursos naturais, usando da natureza de forma com que ela se desequilibre e não possa mais fornecer a manutenção da vida estou em pecado, ou seja estou errando o alvo, em desacordo com o desejo de Deus.

PB. Gilson Araújo

3 comentários:

Anônimo disse...

Olá, estava pesquisando sobre o cristão e a ecologia, pois faço Gestão Ambiental pelo IFPE - Recife e estou lendo sobre este assunto com instuito de fazer um trabalho em cima dele.

Achei bastante interessante o que foi abordado nesta postagem, pois cada vez mais vejo pontos em comum sobre as questões ambientais e o comportamento cristão.

O que está mais ligado é no modo de agir a favor do meio ambiente e no modo de agir cristão. No meu caso tenho que ter dois testemunhos; o cristão e o ambiental. Mas no fim eles acabam convergindo.

parabéns pela postagem!

Atenciosamente Dannyele Machado de Almeida

contato: dannyzinha_90@hotmail.com

Consultora Educacional disse...

Gosto muito dos artigos de ótima qualidade do seu Blog. Quando for possível dá uma passadinha para ver nosso Curso de Analista de Suporte. Melissa.

nobre jr disse...

Na realidade, nós somos a obra prima de Deus e estamos nos preoculpando mais com a natureza do que com nós mesmos, a natureza nunca vai se acabar não temos capacidde pra isso, nos ultimos 17 anos a terra esfriou nao existe aquecimento global.

se alguem discorda so me add no msn. nobrejr@live.com